Você Conhece Fundos de Investimentos?

Oi pessoal, vamos abordar um assunto hoje que pode ajudar muito os investidores a diversificar com qualidade seu dinheiro e que vai virar uma série em nosso blog: Os Fundos de Investimentos.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informa textualmente em seu site que fundo de investimento é uma modalidade de investimento coletivo.

Mas, o que seria isto? Vamos simplificar: isto é como se você se juntasse com mais outros investidores e contratasse uma equipe de profissionais para selecionar títulos, ações, opções, ouro, commodities, moedas, etc e esta equipe decidisse pelo grupo quando entrar e sair destes investimentos.

No Brasil, um fundo pode ser constituído sob a forma de condomínio aberto, em que os cotistas podem solicitar o resgate de suas cotas conforme estabelecido em seu regulamento, ou condomínio fechado, em que as cotas somente são resgatadas ao término do prazo de duração do fundo.

Vamos tentar trazer este assunto para nosso cotidiano: Vamos supor que você tenha um apartamento de 100 metros quadrados e que cada metro quadrado seja equivalente a 1 cota. Neste caso, você teria 100 cotas do fundo.

Seus vizinhos no prédio são os outros cotistas e dependendo do tamanho do apartamento que cada um possua, eles podem ter quantidade diferente de cotas.

Nos fundos existe a figura da taxa de administração que seria o equivalente ao condomínio que você paga no seu prédio. Todos pagam esta taxa de administração.

Existe também a figura do Administrador. Ele é o equivalente ao síndico do seu prédio. E o Gestor do Fundo? Este é o responsável pela efetiva administração do fundo, o que no caso de prédios seria o equivalente à imobiliária, contratada pelo síndico para administrar efetivamente o prédio.

O dinheiro do fundo fica em um banco, que é o custodiante, e que normalmente é um grande banco.

Após esta introdução, vamos aos tipos mais comuns de fundos de investimentos e suas características fundamentais:

  • Renda Fixa: Os fundos classificados como Renda Fixa, devem ter como principal fator de risco de sua carteira a variação da taxa de juros (normalmente o a taxa do CDI, que é a taxa do Certificado de Depósito Interbancário, que são empréstimos de curtíssimo prazo, feitos entre os bancos), de índice de preços (índices de inflação), ou ambos (variação de taxa de juros e índices de preços);
  • Fundos de Ações: Os fundos classificados como Ações devem ter como principal fator de risco a variação de preços de ações admitidas à negociação no mercado organizado (na BMF Bovespa). Para que um fundo possa ser classificado como Fundo de Ações, ele deve conter no mínimo 67% de seu Patrimônio Líquido investido em ações de empresas negociadas na BMF Bovespa;
  • Fundos Imobiliários: Os fundos classificados como Imobiliários , que também são conhecidos como FIIs, têm como principais características 1) investirem em ativos imobiliários; 2) gerarem renda mensal isenta de Imposto de Renda para seus cotistas; 3) serem negociados como ações, no Home Broker de sua corretora e têm suas variações apreciadas exatamente como ações de empresas listadas.

Seus principais riscos são a desvalorização dos imóveis em carteira, com consequente desvalorização de suas cotas e interrupção da renda mensal;

  • Fundos Multimercado: Os fundos classificados como Multimercado devem possuir políticas de investimento que envolvam vários fatores de risco. Na verdade, o Fundo Multimercado pode investir em tudo: moedas, ações, títulos públicos, títulos privados, etc. Graças a essa possibilidade de diversificação, este Fundo é uma boa indicação para qualquer momento da economia, desde que seu gestor seja competente.

Mas, atenção: ele não é um Fundo de Renda Fixa, logo pode gerar ganhos e perdas todos os dias. Não é indicado para quem não quer riscos, mesmo que moderados;

  • Fundos Cambiais: Os fundos classificados como Cambiais devem ter como principal fator de risco de carteira a variação de preços de moeda estrangeira. No mínimo 80% (oitenta por cento) da sua carteira deve ser composta por ativos relacionados diretamente à moeda estrangeira à qual ele se refere. É um fundo de alto risco.
  • Fundos de Ouro: Na verdade, não existem fundos categoricamente classificados como Ouro pela CVM. Os fundos de Ouro disponíveis são, na verdade Cambiais e têm as mesmas características destes. Isto quer dizer que também são fundos de alto risco.

 

Receba as Séries de Fundos de Investimentos!

Insira o seu e-mail abaixo para receber GRATUITAMENTE os próximos artigos sobre as séries de Fundos de Investimentos que são: Fundos de Renda Fixa - Fundos de Ações - Fundos Imobiliários - Fundos Multimercados - Fundos Cambias - Fundo de Ouro>

 

Dúvidas? Escreva para nós no e-mail contato@investimentusbrasil.com.br, ou se preferir na nossa área de Contatos. Nos mande sugestões de temas e nos ajude a melhorar cada vez mais nossos papos.

Um abraço e até a próxima.