Sempre Vale a Pena Investir em Renda Fixa?

Antes de responder à pergunta “sempre vale a pena investir em Renda Fixa?”, vamos entender um pouco o cenário do poupador e investidor Pessoa Física no país.

Infelizmente, no Brasil, o investimento mais popular ainda é a Caderneta de Poupança. Particularmente acho isso um absurdo, mas a realidade atual ainda é essa.

É o tipo de investimento (acho péssimo chamar a Poupança de investimento, mas vamos em frente) que só dá para classificar como “melhor do que nada”. Afinal de contas, é melhor perder um pouco do que perder 100% pra inflação, que é o caso de quem deixa o dinheiro economizado simplesmente parado na conta corrente.

Mas, certamente para os Bancos é um excelente investimento, pois eles captam dinheiro (o seu) à taxa da Poupança (em torno de 7,0% ao não) e emprestam no mínimo à CDI (hoje em torno de 13,0% ao ano). Ótimo negócio, não?

As medições mais recentes, mostram saques maiores do que depósitos na Caderneta de Poupança, mas em grande parte por causa da crise, que está levando a uma redução no nível de poupança no país. O desemprego bate às portas das pessoas e elas se veem obrigadas a sacar a Poupança para pagar dívidas ou despesas correntes.

Porém, o aumento da procura por investimentos no Tesouro Direto, mostra uma possível migração no sentido de alocação de recursos em opções que entregam mais rentabilidade. E estas opções não faltam, inclusive com menor risco do que a poupança e liquidez e rentabilidades diárias (não esqueça que na Poupança o dinheiro tem que ficar parado durante um loooongo mês para render alguma coisa).

O Brasil ainda é um dos países com as maiores taxas de juros do planeta (os juros estão caindo, mas 13,0% ao ano de taxa Selic ainda é uma taxa bastante alta), o que leva o investimento em Renda Fixa por aqui a ser uma alocação indicada para qualquer tipo de investidor, desde o conservador até o agressivo. Recentemente fomos inclusive classificados como o último Peru com Farofa do mundo…

Mas, nossa taxa básica está caindo e aí vem a questão: vai continuar valendo a pena investir em Renda Fixa com a redução do CDI?

O Que Nos Dizem Os Grandes Investidores?


Sinceramente, não sei o que dizem professores e teóricos do assunto. E também não tenho a intenção de descobrir.

Admito até conversar sobre o assunto com pessoas que não “metem a mão na massa”, mas sempre prefiro escutar quem pratica e ler sobre especialistas que vivem o mundo real, e não o teórico.

Por favor, não me entendam mal, mas prefiro a prática à teoria. Prefiro gestores de Fundos a jornalistas econômicos. Não dá para ficar ouvindo quem repete o que todo mundo fala ou que diz que o que acontece era óbvio, mas que ninguém previu.

E quando procuro as composições de carteiras multimercado de gestores reconhecidamente competentes, tipo Fundo Verde (Verde Asset), ou leio as cartas do Warren Buffett, que é o maior investidor em ações que o mundo já conheceu, vejo que ambos sempre têm Renda Fixa em suas carteiras. E às vezes em quantidades bastante relevantes.

Caramba, se o Luís Stulhberger e o Buffett investem em Renda Fixa, esse negócio deve ser bom.

Mas, atenção, certamente nenhum dos grandes gestores investe nos Fundos DI mal geridos e absurdamente caros dos grandes bancos. Porque aí a qualidade da Renda Fixa desaba.

Mas, Por Que Não Investir 100% do Patrimônio na Renda Variável?


Já expressei minha opinião para nossos leitores, quanto ao que penso ser a única forma de ficarmos realmente ricos com investimentos acessíveis a todos. E, para quem ainda não leu sobre esta minha opinião, expresso aqui novamente: este caminho único é se tornando sócios de empresas lucrativas, com geração de caixa consistente e alavancagem saudável.

Mas, a Renda Fixa nos permite investir nosso dinheiro a taxas de retorno razoáveis, para que possamos reduzir um pouco o risco de nossa carteira a partir da diversificação utilizando ativos de menor risco e também para que tenhamos fôlego na espera de oportunidades futuras de compras de mais ações a preços descontados. Essas oportunidades surgem com bastante frequência.

Logo, investir em Renda Fixa nos ajuda a garantir diversificação e adicionalmente a separar recursos para investir mais na Renda Variável em momentos de depressão do Sr. Mercado.

Mas, existe mais uma aplicação IMPORTANTÍSSIMA para a Renda Fixa (na verdade para os Fundos DI de liquidez imediata ou para o Tesouro Selic), que é a formação de sua reserva para emergências.

Este é aquele dinheiro que você deve deixar disponível em aplicações líquidas, de baixíssimo risco, para que possam ser acessadas a qualquer momento para cobrir eventos inesperados. Lembrando que sempre indico uma reserva que possa cobrir algo entre três e doze meses de suas despesas mensais.

Resumindo


Sim, sempre vale a pena investir na Renda Fixa em qualquer momento. Grandes gestores, que sabem como ganhar dinheiro, sempre têm um pedaço de suas carteiras na Renda Fixa.

A Renda Fixa nos permite diversificar nossa carteira e ao mesmo tempo esperar oportunidades que possam aparecer com o tempo. E o tempo é o maior aliado do investidor.

Mas, não esqueça, procure bons gestores para sua parcela de Renda Fixa. Para que você não esqueça, mais uma vez eu vou repetir: abra uma conta em uma Corretora de Valores e procure por fundos de bons gestores e que cobrem uma baixa taxa de administração. Eles existem, mas certamente não estão disponíveis nos grandes bancos de varejo.

E deixe sempre a reserva de emergência aplicada nestes Fundos DI de liquidez diária ou no Tesouro Selic (neste caso do Tesouro Selic, procure por Corretoras que não cobrem taxas para suas aplicações). É sempre bom dormir tranquilo, sem se preocupar com possíveis dificuldades inesperadas, e a reserva de emergência te ajudará bastante neste ponto.

Bons investimentos e até a próxima.

 

Dúvidas, críticas, elogios ou sugestões? Escreva para nós no e-mail contato@investimentusbrasil.com.br. E não deixe de se cadastrar abaixo, pois temos conteúdos exclusivos e gratuitos para você.

CONTEÚDO EXCLUSIVO !

Insira o seu e-mail abaixo para receber GRATUITAMENTE os nossos conteúdos EXCLUSIVOS de recomendações e análises de investimentos.>