Qual o Melhor Indicador para Avaliar Seu Investimento

Você poupa, deixa de consumir algo que você queria, mas não precisava tanto assim, consegue um trabalho extra que te rende um dinheiro para uma aplicação de longo prazo, etc.

Enfim, consegue separar dinheiro para investir e começar a tentar fazer com que ele cresça e te proporcione mais possibilidades no futuro. Quem sabe até a tão almejada independência financeira.

É aí que todo investidor deve se fazer as seguintes perguntas: Como saber se eu estou obtendo um retorno que seja adequado? O que significa exatamente “adequado”?

Evite Conselhos Absurdos


Antes de definir o que entendo que seja considerado adequado como retorno para um investimento, preciso alertá-lo para um erro muito comum no meio de pessoas e empresas que vendem serviços de aconselhamento em investimentos: Não existem atalhos neste mundo. Não caia na falácia de quem diz que consegue retornos do tipo 50% ou até 100% ao ano de forma recorrente! Isto não existe.

Mas, é possível conseguir este tipo de retorno em algum ou em alguns anos? Sim, mas não de forma recorrente. Esqueça isto.

Mas, e aqueles gráficos que vejo de ações que triplicaram de valor em poucos meses? Isto não aconteceu? Sim, isto aconteceu, mas não caia na armadilha de acreditar que quem está te mostrando o gráfico consegui pegar toda esta “pernada” de alta, pois se pegou, foi sorte.

Pode vir a devolver todo o ganho de operações futuras, pois isto não é sustentável. Não dá para repetir isto de forma recorrente.

Como Montar uma Carteira de Investimentos?


Existem diversas formas de se montar uma Carteira de Investimentos, mas sem dúvida uma boa prática é ter uma composição que inclua Renda Fixa (por meio de títulos públicos, Debêntures, LCIs, LCAs, etc) e Renda Variável (Ações, Fundos Imobiliários, Fundos de Ações, Fundos Multimercado, etc).

Além disto, prefira sempre a segurança ao risco. Sua carteira deve ser, em sua maior parte, composta por Renda Fixa.

Como já disse o Warren Buffett (o cara é meu ídolo, em termos de investimentos e é conhecido como o Mago de Omaha), “a regra número 1 é nunca perder dinheiro e a regra número 2 é nunca se esquecer da regra número 1” e “diversificação é uma proteção contra a ignorância”. Esse sabe tudo!!!

O Que Seria um Retorno Adequado


Bom, aqui no Brasil, eu considero que um retorno adequado para uma Carteira de Investimentos é algo um pouco acima do CDI. Talvez 110% ou 115% do CDI.

Esta é a taxa de juros interbancários e serve como um bom referencial para o retorno de seus investimentos.

Isto porque no Brasil esta taxa, que anda bem próxima da Selic, está hoje em 13,75% ao ano. Bem acima da inflação, que está em torno de 6,50% ao ano.

Este Retorno é Adequado Também para a Renda Variável?


Sim. Este retorno é adequado para sua Carteira como um todo, mas na parte da Renda Variável é aonde você deve arriscar mais.

Sou um investidor que foco bastante na análise e no investimento em Renda Variável, especialmente em Ações, e é nelas que eu procuro aumentar a rentabilidade da minha Carteira.

Mas, mesmo assim, quando consigo 115% do CDI, me sinto bem. Claro que gostaria que fosse mais, mas se não for, tudo bem.

Para se garantir a possibilidade de ganhos futuros, não se pode morrer no meio do caminho, mas é exatamente isto que acontece com muitos investidores que procuram ganhos espetaculares na Renda Variável no curto prazo.

É Possível Obter Mais do Que Isto?


Sim. É possível. Mas não é tão fácil quanto parece. Cuidado com os gurus do mercado e com os grafistas. Gosto de analisar gráficos, mas eles têm o poder de te cegar e te levar ao viés confirmatório.

Você pode e até deve tentar obter um pouco mais, mas nunca faça isto pensando no curto prazo. O curto prazo é muito influenciado pela sorte e pela aleatoriedade.

Garanta um curto prazo adequado e arrisque (compre ativos de risco) para médio e longo prazos. Os juros compostos e a economia com taxas e impostos jogarão a seu favor.

Resumindo:


Retorno adequado não é o retorno espetacular que os gurus do mercado indicam. Tenha como meta algo em torno de 110% a 115% do CDI.

Garanta que a maior parte de sua Carteira seja composta por Renda Fixa e que os produtos que a compõem sejam de boa qualidade.

Arrisque sempre com pouco. A Renda Variável deve ser o trampolim de rentabilidade de sua Carteira, mas não sucumba à ganância exagerada, pois isto pode te levar a sair do jogo. E saindo jogo, não haverá nem o CDI no seu futuro.

Bons investimentos e até a próxima.

Dúvidas, críticas, elogios ou sugestões? Escreva para nós no e-mail contato@investimentusbrasil.com.br. E não deixe de se cadastrar abaixo, pois temos conteúdos exclusivos e gratuitos para você.

CONTEÚDO EXCLUSIVO !

Insira o seu e-mail abaixo para receber GRATUITAMENTE os nossos conteúdos EXCLUSIVOS de recomendações e análises de investimentos.>