Independência Financeira: Como Não Depender do INSS

Desde que me entendo por gente, escuto todo mundo falando sobre aposentadoria e, em alguns casos, as pessoas contando quantos anos faltam para que este momento tão sonhado chegue.

E não há nada de errado nisto.

No meu caso, penso um pouco diferente, pois não planejo o momento em que vou parar de trabalhar, pois como adoro investir e este é um dos meus trabalhos, não penso efetivamente em me aposentar.

Mas é claro que um dia, vou parar de pensar em multiplicar patrimônio. E este será o momento em que vou somente “curtir” o dinheiro que acumulei durante minha vida.

Hoje eu curto este dinheiro e estou sempre procurando acumular mais ainda.

E esta minha vontade atual, eu quero que a Investimentus passe a todos os nossos leitores em todos os textos e assessorias que prestamos.

O Que É Independência Financeira?


Independência Financeira é um estágio em nossa vida em que não dependemos efetivamente de ninguém (monetariamente falando) para vivermos.

Nem hoje e nem nunca, até morrermos.

E de ninguém mesmo, incluindo a aposentadoria do INSS.

Claro que quem trabalha o tempo suficiente para ter o direito de se aposentar pelo INSS, não deve abrir mão desse dinheiro, até porque ele é um direito adquirido.

Mas não é uma boa ideia depender deste dinheiro para viver. Por isto todos devem ter como uma de suas metas de vida acumular patrimônio para não depender da aposentadoria oficial.

A independência financeira te permitirá isso.

Como calcular qual é o valor de nossa Independência Financeira


O cálculo não é nem muito simples e nem muito complicado.

Para começar, devemos ter uma ideia de nossos gastos futuros. Este é o passo mais complicado para algumas pessoas, pois muitos não sabem, ao certo, qual a sua despesa anual.

E porque a despesa anual, ao invés da despesa mensal? Porque nem todas as despesas ocorrem em todos os meses.

Quer exemplos? Dois dos mais conhecidos e comuns: IPVA do carro e viagens.

Portanto, para que o exercício seja válido, é necessário controle de suas despesas. Se você ainda não faz isto, em breve disponibilizaremos uma planilha para te ajudar a atingir este objetivo. Fique de olho nas nossas newsletters, e se cadastre em nossa página para receber nossos conteúdos exclusivos e essa planilha em primeira mão.

Após esta etapa, o cálculo fica razoavelmente simples.

Vamos lá.

Supondo que você imagine que ainda vai viver 40 anos (por favor seja conservador nesta conta, ou seja, pense que vai viver um pouco acima da média) e que você gasta R$ 100 mil por ano.

Você vai precisar de 40 X R$ 100.000,00. Ou seja você precisaria de R$ 4,0 milhões.

Mais é só isso?


Melhor não. Seja mais um pouco conservador (você já foi conservador em sua estimativa de vida. Lembra?).

Muito bem. Imagine que seu plano de saúde vai aumentar e que você vai precisar gastar mais dinheiro com remédios conforme sua idade for avançando.

Coloque algo em torno de 15% a mais no cálculo.

Seu cálculo ficaria então assim: (40 anos X R$ 100.000,00) X 1,15 = R$ 4,6 milhões.

Ou seja, para as suposições acima, você precisaria ter hoje 4,6 milhões para considerar que atingiu a independência financeira.

Você pode corrigir este valor por inflação e então trazer a valor presente por uma taxa de desconto, mas sugiro que você não faça nem um e nem outro. Vou explicar o porquê mais à frente, neste texto.

Devo parar de trabalhar ao atingir a Independência Financeira?


Melhor não. Trabalhar faz bem à saúde. Não sei se a Medicina já chegou a esta conclusão, mas é certo que muitas pessoas se tornam depressivas quando param de trabalhar e perdem suas referências de vida.

Portanto, tente diminuir seu ritmo de trabalho, mude suas atividades laborais, mas não pare de trabalhar pelo único motivo de ter atingido a Independência Financeira.

Além disto, você pode acabar vivendo mais do que imagina, logo pode precisar de um pouco mais de dinheiro. Tudo pode acontecer.

Devo então esquecer o valor que vou receber do INSS?


Claro que não! Considere-o como um bônus. Um dinheiro que servirá para você curtir mais do que curtiria se ele não existisse.

Utilize uma parte dele para viajar, curtir alguns bons pratos em bons restaurantes, etc.

É dinheiro como qualquer outro. Só faça de tudo para não depender dele!

E a questão da Inflação e de trazer a Valor Presente?


Bom, esta é mais uma sugestão conservadora. Sou meio chato com isto, porque estamos tratando de nosso futuro.

Inflacionar o valor e trazê-lo a valor presente pela inflação dará exatamente o mesmo valor. Em nosso exemplo, R$ 4,6 milhões.

Já se você atualizar pela inflação e trouxer a uma taxa de oportunidade (tipo CDI), o valor resultante será menor. Ou seja, você precisará de menos. Não será conservador.

Sempre invista em algo conservador que te dê mais do que a inflação. Isto garante ganhos em seu conservadorismo.

Veja bem: já estamos “adivinhando” quanto tempo você viverá. Não vale a pena “adivinhar” mais nada. Seja conservador em tudo. Seu futuro está na reta!

Resumindo


Não fique imaginando sua aposentadoria, Planeje-a.

Busque, via economia e bons investimentos, atingir sua independência financeira.

A independência financeira não exclui a possibilidade da aposentadoria pelo INSS. Ela apenas faz com que você não seja dependente do governo.

Seja conservador na conta da sua necessidade para a independência financeira. Não é uma boa ideia ter necessidade de caixa no final de sua vida. Já a sobra de caixa não é nenhum problema. Seus herdeiros vão até gostar.

Bons investimentos e até a próxima.

 

Dúvidas, críticas, elogios ou sugestões? Escreva para nós no e-mail contato@investimentusbrasil.com.br. E não deixe de se cadastrar abaixo, pois temos conteúdos exclusivos e gratuitos para você.

CONTEÚDO EXCLUSIVO !

Insira o seu e-mail abaixo para receber GRATUITAMENTE os nossos conteúdos EXCLUSIVOS de recomendações e análises de investimentos.>