Como Planejar Financeiramente o Seu Casamento?

Oi pessoal,

Vamos tratar hoje de um assunto que interessa a muitas pessoas, homens e mulheres: Como planejar financeiramente o Evento Casamento.

Este tema gera bastante stress emocional, pois o casamento deve ser um momento feliz e de preferência não gerar dívidas, pois começar uma nova vida com as indesejáveis dívidas não é nada legal e definitivamente não é recomendável.

Sou casado, e não adquiri dívidas para meu casamento. Acho que posso te ajudar bastante no planejamento financeiro para que você viva de forma intensa e tranquila este momento tão importante.

E não vamos esquecer: Para algumas pessoas este momento se repete duas, três, quatro vezes ou mais.

Tempo de Planejamento:


Bom, o ideal de forma conservadora é que o casal se planeje por dois anos ou mais, mas se o casamento for decidido em cima da hora, esta etapa também deve ser cumprida. Sempre é bom ter tempo para se planejar, mas é melhor planejar um pouco do que simplesmente não se planejar.

Como Se Planejar:


O ótimo é que se tenha uma ideia preliminar do que será necessário contratar e quanto isto gera de despesa hoje e colocar algo em torno de 20% a mais, para se defender da inflação futura e de algum extra que apareça no meio do caminho.

Para isto, existem profissionais que podem te ajudar, como a Elaine Vinhaes, da Elaine Vinhaes Assessoria & Cerimonial (http://www.evinhaescerimonial.com).

Conversamos com ela, que é uma profissional experiente, para entender quais as principais demandas de noivos hoje em dia e então te oferecermos dicas para ajudar na parte do planejamento financeiro.

De acordo com a Elaine, o planejamento deve ser com pelo menos 15 meses, contrariando minha impressão inicial de 24 meses, mas ela confirmou que com quanto mais antecedência melhor.

A assessoria dela cuida de tudo para você, inclusive o ponto que estamos tratando aqui, que é de cotar e escolher fornecedores para todos os detalhes (incluindo buffet, foto e filmagem, etc). Este ponto é muito importante, pois tudo o que você não precisa é que os fornecedores te deixem na mão nessa hora.

A Elaine te ajuda com uma planilha (a boa e velha planilha Excel sempre ajuda!!) de orçamento total, na qual você escolhe todos os fornecedores e quanto você quer gastar com cada serviço.

Não preciso nem dizer que isto tem um custo, mas este custo é absolutamente válido. É como um seguro que você contrata para seu carro, que te protege de eventuais problemas e que você se arrepende de não ter quando algo dá errado.

Como Guardar o Dinheiro:


Primeiramente você deve abrir uma conta corrente (de preferência digital, para que você não pague tarifas desnecessárias) e uma conta em uma corretora, as duas em seu nome e de seu/sua futuro/a cônjuge, para que vocês possam investir de forma independente em prol do pagamento das despesas do casamento.

Vamos às contas:


A Elaine nos disse que uma festa de porte médio custa em torno de R$ 20 mil. Vamos tomar este custo para formular nosso exemplo.

Para começar, além deste custo, você deve incorporar algo em torno de R$ 5 mil para sua viagem de lua de mel, se você pretender fazê-la.

Muito bem, com isto estamos partindo de um valor inicial médio de R$ 25 mil. Vamos fazer aquela conta mágica que citei acima e adicionar 20%. Chegamos então ao valor final de R$ 30 mil.

Pronto, já temos o ponto de chegada. Agora precisamos fazer as contas de quanto precisamos investir e aonde investir para que possamos chegar a estes R$ 30 mil em dois anos.

Como Chegar Lá:


Bom, este dinheiro não pode correr riscos, mas deve ter valorização no tempo, para que você consiga chegar à linha de chegada sem precisar depositar os R$ 30 mil.

Para isto, vamos utilizar dois títulos do Tesouro Direto, o IPCA+ e o Tesouro Selic, com taxas caindo com o tempo, já que imaginamos que as taxas, tanto Selic quanto de inflação vão cair nos próximos 24 meses.

Estamos utilizando estes dois títulos porque um (IPCA+) te protege da inflação e gera rendimento real e outro (Selic) porque acompanha o CDI, uma taxa referencial de empréstimos entre bancos.

Feitas as considerações, vamos ao que interessa: para que você consiga os R$ 30 mil que você precisará em dois anos, você precisaria necessariamente, investir R$ 1.146,36 todos os meses nos instrumentos que indiquei acima.

Perceba que, no total, você terá investido R$ 27.512,64 e conseguirá no final R$ 30.000,00, ou seja um rendimento, já líquido do IR de R$ 2.487,36. Um belo dinheirinho extra.

Isto já pensando em possíveis imprevistos, porque você na verdade, imaginou que precisaria de R$ 25 mil.

Resumindo:


Você quer casar? Se planeje financeiramente e conte com ajuda de profissionais sérios. Vale a pena.

Invista um pouco todos os meses, para benefício de seu evento tão importante e para sua tranquilidade após o evento, pois dívidas ao se casar são um ótimo primeiro passo para brigas e desentendimentos.

E ninguém se casa pensando em brigas futuras e sim em construir um futuro legal com quem a gente escolheu.

Dúvidas? Escreva para nós no e-mail contato@investimentusbrasil.com.br, ou se preferir na nossa área de Contatos. Nos mande sugestões de temas e nos ajude a melhorar cada vez mais nossos papos.

Um abraço e até a próxima.