6 Passos Para Você Investir Melhor

Outro dia li a seguinte manchete em um jornal de grande circulação no Brasil: “Caderneta de poupança perde espaço, mas segue como principal aplicação”. Fiquei bastante feliz com o título da reportagem, pois não consigo entender como tantas pessoas físicas ainda investem seu dinheiro, ou a maior parte dele, na Caderneta de Poupança.

Não faz sentido a principal aplicação dos brasileiros ser a poupança, pois a população está perdendo dinheiro com isso.

E quando uso o termo “perdendo dinheiro”, não estou só falando de perder rentabilidade em relação a produtos melhores. Estou falando em deixar seu dinheiro desvalorizar, já que a poupança perde para a inflação de forma recorrente.

Em outro jornal li o seguinte: “Saques da poupança superam depósitos em R$ 40,7 bilhões em 2016”.

Voltei a ficar animado. Mas a animação passou bem rápido. Li também que os saques foram menores, de acordo com a reportagem, basicamente por causa da crise econômica e não porque os brasileiros estão abrindo o olho e saindo da Caderneta de Poupança e indo para produtos financeiros melhores e mais rentáveis.

Não gostei de ler isto, mas de certa forma, este tipo de notícia me indica que tenho muitas pessoas para atingir com as minhas newsletters, e isto é um desafio. E já que desafios existem para serem confrontados e superados, vamos em frente.

Achei então que era um bom momento para indicar alguns passos para que os brasileiros possam investir melhor o seu dinheiro. Ele (o dinheiro) e os investidores merecem!

Vamos aos passos:

1 – Abra uma conta em uma Corretora de Valores:


Este é o primeiro passo, e por um motivo bem simples: você não vai encontrar os melhores produtos financeiros em seu banco. Ele não oferece estes produtos para os correntistas. Pelo menos não para a grande maioria.

Não que a Corretora seja santa, mas lá você vai encontrar um portfólio muito maior à sua disposição, com melhores rentabilidades e melhores taxas de administração.

2 – Não Invista Nas Dicas do Seu Gerente do Banco:


O banco quer que você aloque seu dinheiro na Caderneta de Poupança, em Títulos de Capitalização, em Fundos de Investimentos com taxas de administração absurdas, etc.

O Gerente de sua conta no banco tem metas a serem batidas e elas são normalmente vinculadas a estes tipos de produtos. São bons produtos para o banco, que capta o seu dinheiro à taxa de Poupança ou Títulos de Capitalização e aplica no CDI, ganhando o spread.

Faça isso você mesmo. Aplique na taxa Selic (que é praticamente um espelho do CDI) e ganhe o spread que fica com o banco. Quer saber como? Clique aqui.

3 – Conhecimento Faz Diferença:


Não tenho dúvida de que só o fato de você investir em fundos de renda fixa com taxas de administração mais baixas, vai melhorar seus retornos financeiros.

Mas, não dá para alcançar rendimentos que realmente façam diferença para seu dinheiro, sem conhecimento. Estude, leia artigos que te ajudem a trilhar um melhor caminho financeiro, faça cursos, enfim, busque ajuda para que você possa, no futuro, caminhar com suas próprias pernas, ou para que você possa, sem titubear, falar um NÃO bem grande para o gerente de sua conta no banco quando ele oferecer produtos ruins para você.

4 – Não Acredite em “Milagres” de Curto Prazo. Tenha Paciência


A paciência é uma das maiores aliadas dos investidores. E o motivo é que os juros compostos trabalham por você. Silenciosamente. Dia após dia.

Especialmente no mercado de ações, operar (comprar e vender) no curto prazo, dá bastante lucro … para a Corretora. Não caia nessa.

Operações como Day Trade (comprar e vender uma determinada ação em um mesmo dia), operar com robôs, e outras formas mágicas de ganhar dinheiro, são ilusões vendidas pelas Corretoras, para que você pague bastante corretagem e gerem resultados para elas mesmas.

5 – Diversifique:


Conforme seu patrimônio investido for crescendo, passe a avaliar outros produtos financeiros além dos que você já possui.

Isto gera uma assimetria favorável, pois faz com que seus investimentos não andem somente em uma direção e com um único fator de risco/rendimento.

Se você tiver dólar, compre ações. Se tiver ações, compre dólar. Tenha sempre renda fixa em seu portfólio. Avalie fundos de investimento variados, que tenham suas carteiras voltadas para ativos diferentes entre si.

6 – Assuma Riscos:


Você deve sim, investir em produtos com maior risco, porque são eles que vão te alçar à condição da independência financeira.

Investimentos do tipo Fundos Multimercado, Fundos de Ações, Fundos Imobiliários, Ações, Fundos Cambiais, etc, devem ser considerados por você na composição da sua Carteira de Investimentos.

Mas, nunca se esqueça do Passo 3. Sem ele, você fica mais refém da sorte do que o necessário.

Outra dica: Só invista elevado o valor que você possa perder em ativos de muito risco. Não arrisque o seu futuro em ativos que podem te levar à falência financeira.

Resumindo:


Caderneta de Poupança, Títulos de Capitalização, etc não vão fazer você ganhar dinheiro no longo prazo. Pelo contrário. Vão te ajudar a não ficar rico.

Portanto, não deixe que o trabalho (que é muito pequeno) de abrir conta em uma Corretora faça com que você perca dinheiro em seu banco.

Estude sobre investimentos. Acredite nos juros compostos (eles estão aí para te ajudar e não vão te cobrar nada por isso). Tenha paciência (os juros compostos também vão te recompensar por esta virtude). Diversifique. E, finalmente, assuma riscos com o dinheiro que você pode perder.

Você não vai se arrepender. Seu dinheiro agradece!

Bons investimentos e até a próxima.

 

Dúvidas, críticas, elogios ou sugestões? Escreva para nós no e-mail contato@investimentusbrasil.com.br. E não deixe de se cadastrar abaixo, pois temos conteúdos exclusivos e gratuitos para você.

CONTEÚDO EXCLUSIVO !

Insira o seu e-mail abaixo para receber GRATUITAMENTE os nossos conteúdos EXCLUSIVOS de recomendações e análises de investimentos.>